Planeta-Escola

Transformações. Na perspectiva da evolução, pesquisadores da Conscienciologia consideram as transformações do Planeta Terra inerentes aos propósitos da reurbanização extrafísica, no crescendo ascendente do Planeta-Hospital ao Planeta-Escola.

Despertar. No contexto de mudanças estruturais ou cotidianas, a participação consciente dos agentes reurbanizadores, no exercício de funções assistenciais próprias, se desenvolverá, de acordo com as orientações de consciências amparadoras, no sentido de colaborar para sanar desequilíbrios conscienciais os mais diversos, tendo em vista o despertar de consciências para reciclagens e reeducação favoráveis à progressiva elevação do nível de autoconsciencialidade e interassistencialidade.

Condições. Com a revolução científica e tecnológica e o intenso crescimento demográfico verificados a partir da segunda metade do século XX, a era da reurbanização extrafísica teria iniciado. A oportunidade de ressoma em massa de consréus e intermissivistas e o acesso possível a novas tecnologias e invenções, instituições e espaços terapêuticos e educacionais, conhecimentos, informações e neoparadigmas (Manfroi e Barbaresco, 2017) estabeleceram as pré-condições para uma coabitação evolutiva propícia aos esclarecimentos necessários, tratamentos e resgates conscienciais de toda espécie.  

Desafios. A caminho do planeta-escola, os desafios ao desenvolvimento consciencial e social o mais pleno envolvem a reeducação permanente para o discernimento universalista e a convivência interassistencial cosmoética e fraterna com as consciências as mais distintas, quanto a etnias, culturas, níveis evolutivos e socioeconômicos.

Ultrapassagem. O planeta-escola começa em cada consciência ao ir além dos limites da auto-evolução, pelo enfrentamento e superação das dificuldades naturais ou dos obstáculos geradores de estados de estagnação, desequilíbrios ou patologias conscienciais. Para isso, processos de autoreeducação são essenciais e devem ser promovidos incessantemente.

Crianças. A construção do planeta-escola em todo lugar recomeça em cada consciência que nasce, em cada criança, e em todas as crianças hoje viventes na Terra, em nova jornada de crescimento.

Função. A provisão das condições materiais e imateriais para as crianças se imbuírem do significado evolutivo do planeta-escola e, desde cedo, entenderem e assumirem a função assistencial que lhes cabe no referido trabalho de construção é tarefa de todos e, em especial, dos responsáveis mais diretos pelas consciências na infância.    

Referências

MANFROI, Eliana e BARBARECO, Fernando. Pararreurbanização e Historiologia: Hipóteses de Marcos Pró-Reurbanizadores na História da Humanidade. Reurbanisator, Vol. 1, N. 1 | Nov. 2017, p. 111-122.